Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração
https://tecnologiammm.com.br/doi/10.4322/2176-1523.20191678
Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração
Artigo Original

ANÁLISE DE CENÁRIOS PARA IMPLANTAÇÃO DE UMA PEQUENA INDÚSTRIA CERÂMICA NA REGIÃO AMAZÔNICA

SCENARIO ANALYSIS FOR THE IMPLANTATION OF A SMALL CERAMIC INDUSTRY IN THE AMAZON REGION

Andre Luiz Vilaça do Carmo, Léo Daiki Shinomiya, Joner Oliveira Alves

Downloads: 0
Views: 167

Resumo

O trabalho apresenta estudos de cenários técnico e econômico para a implantação de uma pequena fábrica cerâmica, através do estudo de caso de uma prospecção de argila vermelha no interior do Pará. O estudo consistiu na execução de sondagem à trado (ST) na área, para cálculo volumétrico da reserva, e recolhimento de amostra para caracterizações em laboratório. Amostras de argilas foram coletadas e submetidas a análises do teor de umidade, química (fluorescência de raios X) e mineralógica (difratometria de raios X). Um cenário para uma empresa entre micro e pequena produtora de cerâmica foi estabelecido visando estimativas preliminares para um possível empreendimento. A análise de cenários levou a uma possibilidade de implementação de uma unidade fabril de cerâmica com capacidade produtiva de até 140 mil peças/mês. Restrições quanto ao tipo de produto desejado e a característica da argila prospectada devem ser consideradas, podendo ser necessário a mistura de argilas de base “gorda”, com maior quantidade de argilominerais.

Palavras-chave

Análise de cenários; Indústria cerâmica; Argila vermelha; Pequena empresa.

Abstract

The work aims technical and economic scenario studies for the implantation of a small ceramic mill, through the case study of a prospecting red clay in the interior of Pará state. The study consisted of an auger drilling on the area for volumetric calculation of the reserve, and sample collection for laboratorial characterization. Clay samples were collected and subjected to analyses of moisture content, chemical composition (X-ray fluorescence) and mineralogical characterization (X-ray diffraction). A scenario of a business among micro and small ceramic mill was established aiming preliminary estimates for a possible enterprise. The scenario analyses led to a possibility of implementing of a ceramic plant with capacity up to 140,000 pieces/month. Constraints among the type of desired product and characteristics of prospected clay should be considered, in which might be necessary a mixture of base clays “fat” with higher amounts of clay minerals.

Keywords

Scenario analysis; Ceramic industry; Red clay; Small business.

Referências

1 Guggenheim S, Hillier S, Jaynes W, Maurice P, Pozo M, Velbel M. The Clay Minerals Society Glossary for Clay Science Project. Virgínia: The Clay Minerals Society; 2015 [acesso em 16 mar. 2016]. Disponível em: http://www.clays.org/Clay_Glossary.htm.

2 Brasil. Departamento Nacional de Produção Mineral. Anuário Mineral Brasileiro. Brasília: DNPM; 2010 [acesso em 28 mar. 2016]. Disponível em: http://www.dnpm.gov.br/assuntos/ao-publico/anuario-mineral/arquivos/ANUARIO_MINERAL_2010.pdf.

3 Bustamante GM, Bressiani JC. A Indústria Cerâmica Brasileira. Cerâmica Industrial. 2000;5(3):31-36.

4 Junior MC, Tanno LC, Sintoni A, Motta JFM, Coelho JM. A Indústria de Cerâmica Vermelha e o Suprimento Mineral no Brasil: Desafios para o Aprimoramento da Competitividade. Cerâmica Industrial. 2012;17(1):36-42.

5 Alves JO, Junca E, Espinosa DCR, Tenório JAS. Resíduo do corte de granito: inovação tecnológica para a destinação final. Tecnologica em Metalurgia, Materiais e Mineração. 2015;12:123-128.

6 Santos CVP, Silva AR, Filho MASG, Neto EF, Rabelo AA. Índice de plasticidade e análise racional de Argilas de Marabá (PA) para avaliação das zonas de extrusão. Cerâmica Industrial. 2012;17(2):25-27.

7 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Rio de Janeiro: IBGE; 2016 [acesso em 20 jan. 2016]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/santana-do-araguaia/panorama.

8 Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. NBR 9603: Sondagem a Trado. Rio de Janeiro: ABNT; 1986. 6 p.

9 Instituto Nacional de Tecnologia – INT. Avaliação do Setor de Ceramica da Regiao Norte do Estado do Pará – Regioes de Abaetetuba, Igarape-Miri e São Miguel do Guama. Rio de Janeiro: EELA; 2011. (Programa de Eficiencia Energética en Ladrilleras Artesanales de America Latina para Mitigar el Cambio Climaticos). 12 p.

10 Macedo RS, Menezes RR, Neves GA, Ferreira HC. Estudo de argilas usadas em cerâmica vermelha. Cerâmica. 2008;54:411-417.

11 Junior LAG, Varajão AFDC, Souza MHO, Moreno MMT. Estudo Comparativo das Olarias dos Municípios de Alfenas e Areado, MG. Cerâmica. 2012;58(347):404-411.

12 Grim RE. Clay Mineralogy. New York: McGraw-Hill Book; 1968.

13 Santos PS. Tecnologias de Argilas. São Paulo: Edgard Blücher;1975.

14 Costa E, Pires G. Diagnóstico Socioeconômico e Ambiental da Região de Integração do Araguaia. Pará: FAPESPA; 2016 [acesso em 16 abr. 2016]. Disponível em: http://www.seplan.pa.gov.br/sites/default/files/PDF/ppa/ppa2016-2019/perfil_regiao_araguaia.pdf.

15 Brasil. Ministério da Fazenda. Simples - Microempresa (ME) e Empresa de Pequeno Porte (EPP). Brasília: Ministério da Fazenda; 2005 [acesso em 20 mar. 2016]. Disponível em: http://www8.receita.fazenda.gov.br/simplesnacional.

16 Batista VR, Nascimento JJS, Lima AGB. Secagem e queima de tijolos cerâmicos maciços e vazados incluindo variações dimensionais e danos estruturais. Revista Eletrônica de Materiais e Processos. 2008;3(1):46-61.

17 Shinomiya LD, Gomes JO, Alves JO. Planejamento de cenários para uso de resíduos industriais: aplicação para lama vermelha. Revista Gestão em Engenharia. 2015;2:43-66.

18 Silva AC. Análise de Viabilidade Econômica Financeira para a Implantação de uma Central de Massa em uma Indústria Cerâmica de Itaboraí, RJ [dissertação]. Rio de Janeiro: Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca; 2012.

19 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE. Fornos do Setor de Cerâmica Vermelha do Rio Grande do Norte. Natal: SEBRAE; 2014. (Relatório de Assessoria Técnica e Tecnológica). 20 p.

5c87acc80e88254630db04ac tmm Articles
Links & Downloads

Tecnol. Metal. Mater. Min.

Share this page
Page Sections