Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração
https://tecnologiammm.com.br/article/doi/10.4322/2176-1523.1019
Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração
Artigo Original

INFLUÊNCIA DA ADIÇÃO DE LUBRIFICANTES E SÓLIDOS INERTES NAS PROPRIEDADES FISICAS DE FLUIDOS DE PERFURAÇÃO ARGILOSOS

INFLUENCE OF THE ADDITION OF THE LUBRICANT AND INERTS SOLIDS IN PHYSICAL PROPERTIES OF DRILLING MUDS

Jeniffer Silva Martins, Renalle Cristina Alves de Medeiros Nascimento, Luciana Viana Amorim

Downloads: 2
Views: 374

Resumo

Durante a perfuração de poços, a incorporação excessiva de sólidos aos fluidos de perfuração promove o aumento dos custos operacionais. Em vista disso, este trabalho tem como objetivo principal avaliar as propriedades dos fluidos de perfuração após a incorporação de sólidos inertes. Para tanto, foi realizado um estudo dividido em duas etapas, na primeira etapa, os fluidos apresentavam em sua composição apenas a argila bentonítica sódica, enquanto que na segunda etapa, eram compostos por argila bentonítica sódica e lubrificante. Os fluidos tiveram amostras de carbonato de cálcio e areia fina incorporados na sua composição. Foram avaliadas a densidade e propriedades, como reologia, filtração, lubricidade e o coeficiente de prisão diferencial. Os resultados evidenciaram que: i) a adição dos contaminantes aos fluidos provocou alterações em todas as propriedades estudadas ii) a carbonato de cálcio não atuou eficientemente como agente obturante e iii) a presença do lubrificante no fluido promoveu melhorias nas propriedades de lubricidade e prisão diferencial, de forma que a incorporação de sólidos ao fluido não afetou de maneira significativa tais propriedades.

Palavras-chave

Fluidos argilosos; Incorporação de sólidos; Lubricidade.

Abstract

During the well drilling operation, the excessive incorporation of the solids to the drilling fluids promotes increased operating costs. Based on that, this study has as main objective to evaluate the properties of drilling fluids after addition of inert solids. It was performed a study divided in two stages, in the first stage, the fluids had in their composition only sodium bentonite clay, while in the second stage the fluids were composed of sodium bentonite clay and lubricants. The fluids incorporated in their composition calcium carbonate and fine sand samples. The density and the properties such as, rheology, filtration, lubricity and differential sticking coefficient have been evaluated. The results showed that: i) the addition of contaminants to the fluids caused changes in all studied properties ii) calcium carbonate did not act efficiently as bridging agente and iii) the presence of the lubricant in the fluid promoted improvements in the properties of lubricity and differential sticking, that incorporation of solids to the fluids does not significantly affect such properties.

Keywords

Drilling muds; Solids incorporation; Lubricity.

Referências

1 Carvalho AL. Estudo dos fluidos de perfuração e seus impactos relacionados às atividades da indústria de petróleo [Monografia de graduação]. Itajubá: Universidade Federal de Itajubá; 2005.

2 Annis RM, Smith VM. Drilling fluids technology. Irving: Exxon Company; 1996.

3 Silva, C.T. Desenvolvimento de fluidos de perfuração a base de óleos vegetais [monografia de graduação]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2003.

4 Farias KV. Influência de umectante aniônico na reologia e espessura do reboco de fluidos hidroargilosos [dissertação de mestrado]. Campina Grande: Universidade Federal de Campina Grande; 2005.

5 Simon K, Gaurina-Medimurec N, Pasic B. Drilling fluids differential sticking tendency. Zagreto: Rudarsko-geoloskonaftnizboornik; 2005.

6 Souza DAF, Elias RN, Alves JLD, Landau L, Coutinho ALGA, Lomba RFT et al. Modelagem computacional da prisão diferencial da coluna de perfuração em poços não convencionais. Vitória da Conquista: SOFTEC, 2003 [Acesso em 15 jan. 2015]. Disponível em: http://www.nacad.ufrj.br/~rnelias/papers/so ftec2003.pdf

7 Nascimento RCAM, Amorim LV, Lira DS, Lira HL. O fenômeno de prisão diferencial: uma revisão da literatura. Revista Eletrônica de Materiais e Processos, 2010;5(2), 76-87 [acesso em 4 fev. 2015]. Disponível em: www.dema. ufcg.edu.br/revista.

8 Gomes, H.O.; Oliveira J Fo. Metodologia de avaliação da lubricidade de óleo Diesel. In: Rede Metrológica do Estado de São Paulo. Encontro para a Qualidade de Laboratórios; 2005 Jun 7-9; São Paulo, Brasil. São Paulo: REMESP; 2005.

9 American Petroleum Institute – API. Petroleum and natural gas industries - field testing of drilling fluids - Part 1: water-based fluids, ISO/WD 10414-1 e ISO TC 67/SC 3 N. Washington; 2005.

10 Pereira E. Aspectos práticos importantes dos fluidos de perfuração modernos. In: Associação Brasileira de Águas Subterrâneas. X Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas; 1998 Set 9-11; São Paulo, Brasil. São Paulo: Associação Brasileira de Águas Subterrâneas; 1998.

11 Pereira E. O Uso de inibidores de argilas como solução de problemas em sondagens. In: Associação Brasileira de Águas Subterrâneas. XII Encontro Nacional de Perfuradores de Poços; 2001; Petrópolis, Brasil. São Paulo: Associação Brasileira de Águas Subterrâneas; 2001. Suplemento [acesso em 29 jan. 2015]. Disponível em: http:// aguassubterraneas.abas.org/.

12 Nascimento RCAM, Amorim LV, Santana LNL. Avaliação de aditivos lubrificantes em fluidos aquosos para perfuração de poços de petróleo. Revista Eletrônica de Materiais e Processos, 2008;3(3):56-64 [acesso em 12 jun. 2015]. Disponível em: www.dema.ufcg.edu.br/revista.

13 Farias KV, Amorim LV, Ferreira HC, Pereira E. Estudo da reologia e espessura do reboco de fluidos de perfuração: influência de dispersantes e umectante aniônicos. Revista Cerâmica. 2006;52:306-312.

14 Caenn R, Darley HCH, Gray GR. Composition and properties of drilling and completion fluids. 6th ed. Houston: Gulf Publishing Company; 2011. 720 p.

58a47bad0e8825755bea726d tmm Articles
Links & Downloads

Tecnol. Metal. Mater. Min.

Share this page
Page Sections