Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração
https://tecnologiammm.com.br/article/doi/10.4322/2176-1523.20201890
Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração
ABM Week 2018

AVALIAÇÃO TÉCNICA E AMBIENTAL DA INJEÇÃO DA CASCA DA MORINGA OLEIFERA EM ALTOS-FORNOS A COQUE

TECHNICAL AND ENVIRONMENTAL ASPECTS OF USING MORINGA OLEIFERA HUSK IN COKE BLAST FURNACE INJECTION

Alex Milton Albergaria Campos, Paulo Santos Assis, Kátia Monteiro Novack

Downloads: 0
Views: 232

Resumo

A Moringa oleifera é conhecida como a árvore da vida por suas inúmeras aplicações nas indústrias farmacêutica, cosmética e nutricional. Seu produto mais nobre é o óleo, que para ser extraído é necessário descascar a semente, na qual são gerados resíduos sem valor agregado. O uso da casca da semente de moringa oleifera tem efeitos ambientais e econômicos positivos como fontes renováveis de combustível. Em relação à questão ambiental, pode-se dizer que os gases de efeito estufa são emitidos, mas a quantidade é a mesma produzida pelo processo de decomposição natural. Além disso, durante o crescimento, quantidades de CO2 são consumidas na fotossíntese, o que pode contribuir no balanço ao analisar a emissão desses gases na queima da casca. Neste trabalho foi caracterizada a casca da semente de moringa oleifera e avaliado seu uso na injeção de em altos-fornos. Os resultados iniciais mostram que este material tem uma boa taxa de combustão, altos voláteis e conteúdo de hidrogênio. Apesar de o teor de carbono e o poder calorífico serem menores que os do carvão mineral, é possível utilizar 40% da casca na injeção na mistura de carvão, reduzindo as emissões de CO2 no processo.

Palavras-chave

Biomassa; Moringa oleifera; Injeção de materiais pulverizados; Siderurgia; PCI.

Abstract

Moringa oleifera is known as the tree of life for its numerous applications in the pharmaceutical, cosmetic and nutritional industries. To extract the oil it is necessary to peel the seed, which waste doesn`t have value. The husk has some chemistry properties that are interesting to use in the energy generation. Regarding the environmental issue, greenhouse gases are emitted, but the amount is the same as that produced by the process of natural decomposition. In addition, during growth, quantities of CO2 are consumed in the photosynthesis, which can contribute in the balance when analyzing the emission of these gases in the husk burned. This study aims at characterizing the husk from moringa oleifera seed and evaluating its use as a pulverized material injection for the blast furnace. Initial results show that this material has a good combustion rate, high volatiles and hydrogen content. Despite the carbon content and calorific value been lower than coal, it is possible to use 40% of the husk in the injection with the coal mixture, reducing CO2 emissions in the injection process.

Keywords

Biomass; Moringa oleifera; Blast furnace injection; Ironmaking; PCI.

Referências

1 Oliveira DS, Xavier DSF, Farias PN, Bezerra VS, Pinto CHC, et al. Obtenção do biodiesel através da transesterificação do óleo de Moringa oleifera lam. HOLOS, 2012;1:49-61.

2 Vilaseca M, Grimau V, Bouzan C. Valorization of waste obtained from oil extraction in moringa oleífera seeds: coagulation of reactive dyes in textile effluents. Materials (Basel). 2014;7:6569-6584.

3 Suopajärvi H, Pongrácz E, Fabritius T. The potential of using biomass-based reducing agentes in blast furnace: a review of thermochemical conversion technologies and assenssments related to sustainability. Renewable & Sustainable Energy Reviews. 2013;25:511-528p.

4 Assis CFC, Tenório JAS, Assis PS, Nath NK. Experimental simulation and analysis of agricultural waste injection as an alternative fuel for blast furnace. ACS Energy & Fuels. 2014;28(11):7268-7273.

5 Gums A, Flores BD, Agra AA, Silva GLR, Vilela ACF, Osório E. Estudo das interações entre carvões no desenvolvimento plástico de misturas contendo carvão nacional. In: Anais do 48° Seminário de Redução de Minérios e Matérias-primas; 2008; São Paulo. São Paulo: ABM; 2018.

6 Sánchez, C. G. Caracterização de Biomassa .Campinas: UNICAMP/Faculdade de Engenharia Mecânica, Departamento de Eng. Térmica e de Fluidos, 2008. (2o capítulo da disciplina Tecnologia da Gaseificação).

7 Oliveira RS, Assis PS, Assis CFC. Estudo da injeção de casca de eucalipto com carvão mineral em alto-forno. Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração. 2016;13(2):130-135.

8 Fragoso HAP, Pohlmann JG, Machado JGMS, Vilela ACF, Osório E. Influência dos voláteis e do tamanho de partículas de carvões na combustão em simulador de PCI. In: Anais do 48° Seminário de Redução. São Paulo: ABM; 2019. p. 383-394.

9 Rodrigues PMS, Silva PAF. Quantificação das emissões de dióxido de carbono (CO2) por veículos automotores na cidade de Boa Vista/RR-2005-2015. In: Anais do 7° Congresso Luso Brasileiro para o Planejamento Urbano, Integrado e Sustentável; 2016 Outubro 5-7; Maceió, Brazil. São Carlos: Edufscar; 2016.

10 Assis PS, Martins W, Batista C. Avanços na injeção de carvões pulverizados para sua aplicação em altos-fornos. REM: Revista Escola de Minas. 2003;56(4):281-285.

11 Barbieri C, Ósorio E, Vilela A. Combustibility and reactivity of coal blends and charcoal fines aiming use in ironmaking. Materials Research. 2016;19(3):594-601.

12 Tapanes N, Soler P, Santana A, Perez R, Silva N, Santos A. Tecnologias de pré-tratamento para pirólise rápida do bagaço de cana-de-açúcar: uma revisão bibliográfica. AS&T Acta Scientiae & Technicae. 2018;6:36-61.

13 Suopajärvi H, Kemppainen A, Haapakanga J, Fabritius T. Extensive review of the opportunities to use biomass-based fuels in iron and steelmaking processes: Journal of Cleaner Production. 2017;148:709-734.

5e9869bd0e8825de2e746fec tmm Articles
Links & Downloads

Tecnol. Metal. Mater. Min.

Share this page
Page Sections