Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração
https://tecnologiammm.com.br/article/doi/10.4322/2176-1523.20212373
Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração
Artigo Original

Avaliação da influência da tipologia do minério em testes de sticking

Evaluation of iron ore typology in sticking tests

Jean Philippe Santos Gherardi de Alencar, Gabriel Silva do Carmo, Natállia Luiza Antunes Silva, Nathália Duarte Bastos, Pedro Silva Figueiredo

Downloads: 0
Views: 58

Resumo

A cadeia produtiva da mineração de minério de ferro é extensa e flexível, inicia-se na lavra e tem como fim o momento de estocagem em pátios e expedições através de navios, trens ou caminhões. Independente da rota, um ponto chave comum é que o minério precisa ter uma boa escoabilidade ao longo do processo. Dependendo do nível de umidade, características intrínsecas do minério, circunstâncias de operação e dimensionamento dos equipamentos esse comportamento de escoabilidade se altera e traz consequências importantes para a eficiência técnica e econômica do empreendimento. Testes de bancada são relevantes nesse contexto, uma vez que contribuem para um melhor entendimento e previsibilidade de desempenho. No estudo em questão dois minérios de características diferentes: um de hematita granular e lamelar compacto e outro de hematita microcristalina porosa; foram submetidos a um teste experimental de Sticking em níveis de umidade distintos. Os resultados mostraram que: quanto maior a umidade, maior o grau de agarramento do material; para uma mesma umidade, o minério de hematita microcristalina apresenta maior tendência ao agarramento; o teste de bancada correspondeu e teve boa sensibilidade para avaliar os diferentes cenários.

Palavras-chave

Minério de ferro; Escoabilidade; Manuseio; Umidade

Abstract

The production chain of iron ore mining is extensive and flexible, it starts with mining and ends with storage in yards and expeditions by vessels, trains or trucks. Regardless of the route, a common key point is that the ore must have good flowability throughout the process. Depending on the level of moisture, iron ore intrinsic characteristics, operational aspects and dimensioning of the equipment, this flow behavior changes and leads to important consequences for the technical and economic efficiency of the project. Bench tests are relevant in this context, since they contribute to a better understanding and predictability of performance. In this study, two ores with different characteristics: one of compact granular and lamellar hematite and the other of porous microcrystalline hematite; were subjected to an experimental Sticking test at different moisture levels. The results showed that: the higher the moisture, the greater the sticking index of the material; at the same moisture level, the microcrystalline hematite ore is more likely to stick; the bench test corresponded and had good sensitivity to assess the different scenarios.

Keywords

Iron ore; Flowability; Handling; Moisture.

Referências

1 Oliveira MC, Rodrigues EP, Arthur AC. Ardósia como matéria prima cerâmica. In: Anais do 44º Congresso Brasileiro de Cerâmica; 2000; São Pedro. São Paulo: Associação Brasileira de Cerâmica; 2000

2 Agência Nacional de Mineração. Informe mineral. Brasília: ANM; 2018. p. 2-4.

3 Castro Neto LR. Modelagem e simulação da cadeia produtiva do minério de ferro [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2006.

4 Ciminelli VST, Salum MJG, Rubio J, Peres AEC. Água e mineração. In: Rebouças AC, Braga B, Tundisi JG, editores. Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 3. ed. São Paulo: Escrituras; 2006.

5 Quites NAS. Inflluência de diferentes tipos de minério de ferro na umidade do sinter feed [dissertação]. Ouro Preto: a Universidade Federal de Ouro Preto; 2018.

6 Bell FG. Fundamentals of engineering geology. Kent: Elsevier; 2016.

7 Schubert H, Freiberg B. Capillary forces-modeling and application in particulate technology. Powder Technology. 1984;37:105-116.

8 Azevedo JMCB. Absorção por capilaridade de soluções aquosas salinas em materiais porosos [dissertação]. Porto: Universidade do Porto; 2013.

9 Lévy E. Dicionário de física. São Paulo: Melhoramentos; 1993. 537 p.

10 Wrege M. Termos hidrogeológicos básicos. São Paulo: Associação Brasileira de Águas Subterrâneas; 1997.

11 Luz AB, Sampaio JA, França SCA. Tratamento de minérios. Rio de Janeiro: CETEM; 2010.

12 Klein C, Dutrow B. Manual da ciência dos minerais. 23. ed. Porto Alegre: Bookman; 2012.

13 Becker M, Wightman EM, Evans CL. Process mineralogy. Vol. 1. Quennsland: Julius Kruttschnitt Mineral Research Centre; 2016.

14 Cunha CCRF. Determinação dos teores de água em amsotras de minério de ferro, manganês e de oxihridróxidos de ferro sintéticos [dissertação]. Ouro Preto: Universidade Federal de Ouro Preto; 2016.


Submetido em:
16/06/2020

Aceito em:
18/08/2020

611524d3a953952d78006d62 tmm Articles
Links & Downloads

Tecnol. Metal. Mater. Min.

Share this page
Page Sections